Reflexão do Dia 27/12/2022

Quando o buril começou a ferir o bloco de mármore embrutecido, a pedra, em desespero, clamou contra o próprio destino mas, depois, ao se perceber admirada, encarnando uma das mais belas concepções artísticas do mundo, louvou o cinzel que a dilacerara.

A lagarta se arrastava com extrema dificuldade e, vendo as flores tão belas e perfumosas, revoltava-se contra o seu corpo disforme; contudo, um dia, a massa viscosa em que se amargurava converteu-se nas asas de uma ágil e graciosa borboleta e, então, enalteceu o feio corpo com que a natureza lhe preparara o voo feliz.

O ferro rubro colocado na bigorna se espantou e sofreu, inconformado; todavia, quando se viu desempenhando importantes funções nas máquinas do progresso, sorriu reconhecidamente para o fogo que o purificara e engrandecera.

A semente lançada à cova escura chorou atormentada, e perguntou por que motivo era assim confiada ao extremo abandono; entretanto, em se vendo transformada em arbusto, avançou para o Sol e fez-se árvore respeitada e generosa, abençoando a terra que a isolara no seu seio.

Meditemos sobre todos esses edificantes exemplos, e não nos cansemos de fazer o bem. Quem hoje não nos compreende a boa vontade, amanhã nos louvará o devotamento e o esforço. Jamais nos desesperemos com os desconfortos de hoje, e auxiliemos sempre, pois a perseverança é a base da vitória.

Não nos esqueçamos de que ceifaremos mais tarde, em nossa lavoura de amor e luz, contudo, só alcançaremos a divina colheita se caminharmos para adiante, entre o suor e a confiança, e sem nunca nos desfalecermos.

Façamos desta terça-feira a continuidade de uma semana de otimismo e fé nas nossas infinitas possibilidades.

Um abraçaço!

Dê a sua opinião

%d blogueiros gostam disto: