Reflexão do Dia 09/10/2022

A ânsia pelo progresso material, muitas vezes, nos cega, fazendo com que nos preocupemos apenas com o que vemos, escapando-nos aos olhos a importância dos valores invisíveis.

Vemos a flor e não percebemos o seu perfume; admiramos os grandes monumentos e as famosas obras de arte, mas não imaginamos o ideal invisível que brilhou de forma eterna na alma dos artistas que as criaram.

A obra “O pequeno Príncipe” nos reporta que “o essencial é invisível para os olhos”. Isso traz para nós um grande ensinamento: o de não nos preocuparmos em demasia com os bens materiais e com os prazeres vulgares, porque são transitórios. Amanhã, a infância e a mocidade do corpo serão a maturidade e a velhice da forma física.

Na nossa fé cristã, vemos o Mestre dos Mestres em imagens, cartazes, medalhas, cânticos, sermões, estudos e até em contendas, mas isso é muito pouco se não captarmos e inserirmos na consciência e no coração os seus vivos ensinamentos.

Portanto, acautelemo-nos contra o perigo das simples rotulagens, pois é muito fácil externar entusiasmo, convicção, votos brilhantes e frases bem feitas ou “de efeitos” e não nos lembrarmos do alerta do Apóstolo ao afirmar que, se não possuímos o espírito do Mestre, dele nos achamos ainda muito distantes.

Que tal pensarmos um pouquinho sobre a nossa espiritualidade, neste domingo? Com certeza
teremos grande proveito!

Um abraçaço!

Dê a sua opinião

%d blogueiros gostam disto: